Cristo vive em mim?

Cristo vive em mim

Cristo vive em mim

Eventualmente, Jesus foi crucificado e morreu na cruz no dia em que os cristãos tradicionalmente chamam Sexta-feira Santa.

Por conseguinte a crucificação de Jesus é uma das histórias mais conhecidas em todo o mundo, sendo assim uma série de evidências históricas, há poucas dúvidas – mesmo entre os críticos – de que sua morte brutal realmente ocorreu. No entanto, surge a pergunta: Todavia “Jesus realmente ressuscitou dentre os mortos, conforme documentado nas Escrituras? Ou algo mais aconteceu com seu corpo? 

Ademais a ressurreição de Cristo é proclamada em toda a Bíblia: Logo que o Evangelho de Lucas registra no capítulo 24, versículos 2 e 3: “E eles acharam a pedra rolada para longe da tumba, mas, quando entraram, não encontraram o corpo do Senhor Jesus”. 

Ainda mais 1 Coríntios 15: 3-4 diz: “Pelo que recebi, passei a você como de primeira importância: que Cristo morreu por nossos pecados, portanto, de acordo com as Escrituras, que ele foi sepultado, e que foi ressuscitado no terceiro dia, de acordo com as Escrituras. as Escrituras. “ 

Dessa maneira o apóstolo Paulo também nos diz que, se Cristo não ressuscitou, nossa fé é inútil. Mas Jesus ressuscitou. “Ó morte, onde está o teu aguilhão? Ó sepultura, onde estão a vitória? Eles foram engolidos na ressurreição de Jesus Cristo.” cristo vive em mim?

Portanto, Aqui estão cinco fatos de notáveis ​​para provar que a ressurreição de Cristo é real

vida nova
Curso de maquiagem mais vendido da internet

1. Execução de Jesus “cristo vive em mim”

Em primeiro lugar:

 não temos registro de ninguém sobrevivendo a uma crucificação romana completa. De tal forma as evidências para a execução nesse meio tempo são tão fortes historicamente, porque não só temos múltiplas fontes no Novo Testamento, sendo assim, como resultado existem cinco fontes antigas fora do Novo Testamento que confirmam além disso, corroboram Sua execução. Acima de tudo descobri que não há disputa entre os estudiosos de que Jesus estava morto depois de ser crucificado.

No Jornal da Associação Médica Americana , especialistas médicos analisaram a crucificação e concluíram: “A interpretação médica moderna das evidências históricas indica que Jesus estava morto quando levado da cruz”.

2. Aceitação precoce do cristianismo 

Em segundo lugar:

diferentemente do que os estudiosos liberais costumavam nos dizer, que a Bíblia foi escrita, especialmente o Evangelho, muitas décadas após os eventos de Cristo, mesmo os estudiosos mais liberais lhe dirão agora que os Evangelhos foram escritos poucos anos depois dos eventos que eles pretendem contar.

Portanto, o fato de o relato da ressurreição ter ocorrido logo após a vida de Jesus e ter sido amplamente aceito por pessoas que creio argumenta sua autenticidade. Dessa maneira como dizem os especialistas, um evento fictício, deve ser relatado talvez centenas de anos depois de um evento anterior. Assim, ganhar credibilidade e corromper a fonte original. A princípios as pessoas no começo estavam dispostas a morrer por essa verdade de que Jesus ressuscitou dos mortos. 

3. O túmulo vazio “cristo vive em mim”

Em terceiro lugar:

Acima de tudo as pessoas dirão: “Bem, isso está na Bíblia.” Não, na verdade também está fora da Bíblia. Certamente sabemos de fontes externas bíblicas extras que Jesus realmente viveu; dessa maneira sabemos que uma das primeiras reivindicações do cristianismo foi que Ele ressuscitou dentre os mortos, e o fato é que, por 2.000 anos, ninguém foi capaz de produzir o corpo.

Mas o que aconteceu com o corpo se ele não foi ressuscitado?

Em outras palavras, algumas pessoas dizem que foi roubado; bem, quem roubou? Mas os romanos e os líderes judeus não tinham motivação para roubá-lo, queriam acabar com o cristianismo antes mesmo de começar. Em virtude os apóstolos não tinham coragem de roubá-lo, todos eles abandonaram a Cristo antes de sua morte. Pedro, o apóstolo mais corajoso, negou o Senhor três vezes antes de Sua crucificação.

em outras palavras se não foram os apóstolos, se não foram os líderes romanos ou judeus, a questão é: quem mexeu na pedra? Eu acho que esses são dois argumentos bíblicos extras que defendem a ressurreição de Jesus dentre os mortos.

4. Relatos de testemunhas oculares “cristo vive em mim”

Em quarto lugar:

Acima de tudo os relatos de testemunhas oculares da morte e ressurreição de Jesus são as provas mais convincentes que apontam para a ressurreição. 

Portanto, temos sorte no mundo antigo se tivermos uma ou duas fontes para confirmar um fato. Mas, para a convicção dos discípulos de que haviam encontrado o Cristo ressuscitado, ou seja, temos nada menos que nove fontes antigas de dentro e de fora do Novo Testamento, confirmando e corroborando Suas aparências. A ressurreição realmente confirma sua identidade de ser o Filho de Deus.

certamente relatórios que chegam tão rapidamente que você não pode simplesmente considerá-los uma lenda. |Dessa maneira temos um relatório da ressurreição, incluindo testemunhas oculares, datadas por estudiosos nos meses seguintes ao ressurreição de Jesus. Isso é ouro histórico.

vida nova
!!!! super ofetra imperdível !!!!

5. O estabelecimento e crescimento da igreja cristã 

Em quinto lugar:

Ademais a existência da igreja cristã é uma forte prova da ressurreição. 

Eventualmente (Mesmo) os estudiosos mais céticos do NT admitem que os discípulos ao menos acreditavam que Jesus havia ressuscitado da sepultura. O judaísmo do primeiro século não tinha a concepção de um único indivíduo ressuscitando dentre os mortos no meio da história. Desse modo o conceito deles era sempre que todos seriam ressuscitados juntos no final dos tempos. Portanto, a idéia de um indivíduo ressuscitando no meio da história era portanto, o judaísmo daquele dia nunca poderia ter produzido a hipótese da ressurreição 

Acima de tudo os psicólogos lhe dirão que as alucinações não podem conter nada de novo  ou seja, elas não podem conter nenhuma idéia que ainda não esteja em sua mente. Logo que os primeiros discípulos eram judeus, eles não tinham idéia do messias ressuscitando dentre os mortos. Assim, eles nunca teriam alucinado a respeito da ressurreição de Cristo, na melhor das hipóteses teriam alucinado que ele havia sido transportado diretamente para o céu, como Elias havia estado no AT, mas nunca teriam alucinado uma ressurreição. … Portanto, vemos que, se a ressurreição não aconteceu, não há maneira plausível de explicar a origem da fé cristã.  

Por que a ressurreição de Cristo é importante? Para os cristãos, a ressurreição de Jesus é a “pedra angular de uma visão de mundo que fornece a perspectiva para toda a vida”

Por mais devastadoras que sejam nossas lutas, decepções e problemas, elas são apenas temporárias. de tal forma não importa o que aconteça com você, ou seja, não importa a profundidade da tragédia aliás da dor que você enfrenta, isto é, não importa o quanto a morte persiga você e seus entes queridos, a ressurreição promete um futuro de bem incomensurável.

Cristo vive em mim?

teólogos corrêa

Teólogos Corrêa fundadores da "Teologia Com Qualidade" traz os melhores cursos de Teologia do modo livre além de deixar você atualizados com o "Blog Da Verdade" e mais de 100 livros em pdf para você fazer o seu download.

Deixe uma resposta